Qual é a importância do conhecimento tradicional para os sistemas agroflorestais?

O mapeamento é um processo crucial para o planejamento de qualquer sistema produtivo. No caso de um sistema agroflorestal, além do mapeamento geofísico da propriedade, é imprescindível entender o contexto socioeconômico, ou seja, as pessoas que estarão por trás daquele sistema e o mercado que os produtos podem alcançar.

Falando especificamente de pessoas, entender o contexto daquele agricultor, família, comunidade e trabalhadores é crucial para o planejamento de um sistema agroflorestal de sucesso. Isso porque nesse mapeamento é quando entendemos quais culturas são desejadas, quais operações são conhecidas, quem vai trabalhar na agroflorestal, etc. O sucesso de um sistema agroflorestal está diretamente relacionado com o conhecimento tradicional.

Conhecimento tradicional é todo aquele que faz parte da cultura de um local, faz parte das práticas usadas rotineiramente, é passado de geração em geração, diz respeito a um uso ou costume, é adotado por uma família ou uma comunidade. Ter em mãos esse conhecimento é a chave para criar sistemas produtivos aderentes, especialmente quando falamos dos sistemas biodiversos. Isso porque entender esses fatores direciona a escolha de espécies, seu manejo e seus produtos. Por exemplo, se numa Aldeia indígena as mulheres tradicionalmente fazem artesanato com folhas de bananeiras ou palmeiras e essa é uma das fontes de renda, faz sentido incluir essas espécies em maior número; da mesma maneira, se uma árvore é usada como medicinal pela mesma Aldeia, mas exige muita poda e manutenção, mão-de-obra que a Aldeia não possui, faz sentido adaptar a presença dessa árvore no sistema de maneira mais escassa, garantindo sua presença mas restringindo o tempo e esforço para seu manejo. Em outro exemplo, se um agricultor planta café, mas existe um mercado na sua região para geleias de frutas nativas, é provável que algumas espécies disponíveis em viveiros na região sejam sugeridas para compor o seu sistema. É claro que conhecer o contexto do próprio agricultor também ajuda muito no processo de decisão: ele está disposto a aprender novas práticas? Tem tempo e recursos para tal? Gostaria de expandir seu mercado ou apostar numa cadeia de valor em desenvolvimento? Tudo isso conta também.

Ferramentas de aquisição de conhecimento tradicional e local

Para conhecer mais sobre esse agricultor, essa família, essa comunidade, o mais importante é conversar. Trocar ideias, experiências, as histórias das pessoas são incríveis! Nessas conversas, nós, da PRETATERRA aplicamos nosso conhecimento em aquisição de conhecimento local a partir da estruturação de algumas ferramentas, como questionários semi-estruturados, os diagnósticos rápidos rurais (Rapid Rural Appraisals, em inglês) e pairwise. O Valter Ziantoni, em seu mestrado na Zâmbia, se aprofundou muito nessas ferramentas, e com a Paula, desenvolveram uma metodologia própria da PRETATERRA, que nós usamos em todos os nossos projetos. A ideia não é submeter uma pessoa a uma “entrevista”, mas conduzir uma conversa direcionada para adquirir informações que depois serão sistematizadas e guiarão as tomadas de decisão do planejamento agroflorestal. E tudo realizado de maneira co-criativa e transparente. Da mesma maneira, se você deseja planejar um projeto agroflorestal para sua propriedade, você pode fazer esse exercício consigo mesmo, sua família, etc. Colocar tudo no papel é o melhor jeito de começar um planejamento que terá uma execução bem sucedida!

Valter (esq.) e Paula (dir.) durante a execução do Projeto Restauração compatível com igualdade de gênero e a mudança no clima, em Juruti, PA, e, 2018.
Saiba mais sobre agrofloresta:
Espécies, mão de obra, maquinário e mercado, todos devem ser escolhidos e analisados dentro um planejamento detalhado para resultar no melhor custo-benefício e retorno.
Indispensáveis na agrofloresta, as espécies de serviço tem várias funções, mas uma das principais é a produção de biomassa.
Recebemos a pergunta do Carlos, que é de Manaus e gostaria de implantar uma agrofloresta em 32 hectares, numa área que já é uma floresta.
veja também
A Mata Atlântica A Mata Atlântica é um dos biomas mais ameaçados do Brasil devido ao intenso desmatamento que vem...
No primeiro post da série “Diários da comida”, lembramos da nossa viagem de 2019 para os Planaltos Bolivianos. Por quê...
O que nós PRETATERRA chamamos de Exponential Lab é o nosso laboratório e área de Pesquisa & Desenvolvimento de Tecnologias Exponenciais para levar agrofloresta para outros rumos, outras instâncias e para novos horizontes.

drop's regenerativos

fique informado! se inscreva e receba as últimas notícias sobre agrofloresta




    Nós nos preocupamos com seus dados e adoraríamos usar cookies para melhorar sua experiência. Você pode saber mais sobre nossa política de privacidade e cookies aqui.