Consumo consciente – como praticar?

O consumo consciente é todo ato ou prática que exercemos em relação a melhorar nossos hábitos de consumo e refletir tais hábitos à luz do impacto que podem ter, sejam nas nossas finanças, seja no meio ambiente, seja na sociedade. É pensar no uso inteligente de recursos, na qualidade do que compramos e inclusive, na circularidade, no reaproveitamento e no reuso.

O que isso tem a ver com agrofloresta?

Quando pensamos no sistema alimentar como está hoje, não é difícil perceber que o colapso está próximo. Grandes áreas destinadas à produção de poucas espécies, uso intensivo de produtos químicos como adubos, inseticidas, herbicidas; normatização das culturas, empobrecimento nutricional, degradação de solos e ar, e tantos outros efeitos que a agricultura tradicional vem ocasionando ao planeta. A agrofloresta, como um sistema produtivo biodiverso, resiliente e regenerativo, se configura como uma solução para alimentar uma crescente população, quando aplicada em escala. A boa notícia é que grandes corporações têm se interessado cada vez mais pela agricultura regenerativa, então o cenário tem esperança de reversão, mesmo que lentamente.

Como começar?

Nós, como consumidores, também podemos fazer a nossa parte repensando nossos hábitos de consumo e revolucionando o micro para chegar no macro. Algumas das práticas de consumo de alimentos podem ser resgatadas de hábitos das gerações antes da nossa, como por exemplo:

– Ir a feiras livres e comprar diretamente do produtor ao invés de grandes redes de supermercados. Assim é possível saber a origem do que consumimos, gerar renda justa para pequenos agricultores locais e artesãos e ainda estabelecer uma conexão mais humanizada com quem põe as mãos na massa;

– Visitar o mercado municipal de sua cidade. Estes comércios são ótimas opções para encontrar uma grande variedade de produtos e apoiar a economia local, além de serem centros culturais que permitem conhecer a história de sua região mais a fundo;

– Se não há feiras em sua cidade ou bairro e a única opção é o supermercado, ainda é possível ser seletivo na hora de escolher o que comprar. Vale perguntar aos funcionários do local sobre a procedência dos alimentos, especialmente os vegetais;

– Consumir alimentos diversos produzidos por agricultores familiares incentivando-os a continuar a cultivar plantas e criar animais que não são de interesse dos grandes latifundiários, colaborando para a conservação das espécies e a riqueza de alimentos nutritivos (por exemplo, as Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs);

– Priorizar alimentos da estação, que possuem maiores valores nutricionais, os preços são mais baixos devido à maior quantidade disponível para os consumidores e são mais frescos;

– Não se ater à aparência, pois vegetais imperfeitos não são inferiores em valor nutricional ou qualidade em geral, o que gera menos desperdício no final da cadeia, uma vez que esses alimentos são em geral descartados.

E seu eu morar em uma cidade grande?

É possível encontrar produtores familiares perto de você através das redes sociais e sites de cooperativas. Geralmente, através destas plataformas é possível comprar produtos individuais e também solicitar entregas de cestas com os alimentos que eles mesmos cultivam e/ou preparam. Podem ser contratados pacotes mensais e escolher os tipos de alimentos que você quer receber, como hortaliças, frutas, bolos, geleias, embutidos, queijos, mel, ovos, etc.

Um exemplo é a CSA Brasil (Comunidade que Sustenta a Agricultura), a qual liga o produtor diretamente ao consumidor, valorizando e transformando a relação do comprador com os agricultores e com a natureza. Nesta iniciativa a comunidade tem a oportunidade de fazer parte do processo de produção e de ter contato com a terra, entender de onde vem seu alimento e conhecer quem o cultiva. Para saber mais, acesse: http://csabrasil.org/csa/

 

 

Saiba mais sobre agrofloresta:
Espécies, mão de obra, maquinário e mercado, todos devem ser escolhidos e analisados dentro um planejamento detalhado para resultar no melhor custo-benefício e retorno.
Indispensáveis na agrofloresta, as espécies de serviço tem várias funções, mas uma das principais é a produção de biomassa.
Recebemos a pergunta do Carlos, que é de Manaus e gostaria de implantar uma agrofloresta em 32 hectares, numa área que já é uma floresta.
veja também
A Mata Atlântica A Mata Atlântica é um dos biomas mais ameaçados do Brasil devido ao intenso desmatamento que vem...
No primeiro post da série “Diários da comida”, lembramos da nossa viagem de 2019 para os Planaltos Bolivianos. Por quê...
O que nós PRETATERRA chamamos de Exponential Lab é o nosso laboratório e área de Pesquisa & Desenvolvimento de Tecnologias Exponenciais para levar agrofloresta para outros rumos, outras instâncias e para novos horizontes.

drop's regenerativos

fique informado! se inscreva e receba as últimas notícias sobre agrofloresta




    Nós nos preocupamos com seus dados e adoraríamos usar cookies para melhorar sua experiência. Você pode saber mais sobre nossa política de privacidade e cookies aqui.